Serviço de Transporte Humanitário de
Medicamentos do Exterior

Recepção do Centro de Atendimento Médico-Social

Este serviço possibilita o acesso a medicamentos de necessidade vital, sem similiar no Brasil, oriundos dos Estados Unidos e Europa, com total controle da operação pela Fundação Ruben Berta, que assume a intermediação entre pacientes e distribuidores – desde a encomenda, acompanhamento, recebimento, até a entrega ao solicitante – além de submeter a operação à fiscalização da Vigilância Sanitária e da Receita Federal.

Mesmo diante da crescente procura por este serviço, seu caráter humanitário foi preservado. Ou seja, o paciente paga estritamente o custo do medicamento e do frete, realizado pela Empresa Brasileira de Correios.

O empenho da Fundação Ruben Berta na manutenção deste serviço demonstra seu compromisso com a sociedade e com a qualidade de vida das pessoas.

O Serviço de Transporte Humanitário de Medicamentos funciona no prédio da Fundação Ruben Berta em Congonhas, e atende pacientes de todo o Brasil.

Endereço:
Rua Bela Vista, 505
Chácara Santo Antonio - São Paulo - SP
CEP: 04709-001
Tel./Fax: (11) 5041 9623
E-mail: medex@frb.org.br

Horário de atendimento:  12 às 16:00 - de 2º à 5º feira.

 

HISTÓRIA

O Serviço Humanitário de Transporte de Medicamentos surgiu de forma tímida na VARIG, na década de 1980, a partir da necessidade de funcionários da empresa, familiares e amigos próximos, por remédios sem similar no Brasil. No início, eram os próprios empregados sediados do exterior que iam até a farmácia e compravam os medicamentos, enviando-os para o Brasil através dos aeronautas. Em pouco tempo, a demanda por esses medicamentos cresceu, envolvendo fornecedores fixos em Miami e vários países da Europa, equipes da VARIG em Aeroportos, a normatização e fiscalização da Agência Nacional da Vigilância Sanitária e a Receita Federal. O serviço, antes informal, precisou estruturar-se.

A partir de 1993, a VARIG passou a contar com a atuação da Fundação Ruben Berta, através de sua área médica, que assumiu essa complexa operação (processo de informação, encomenda, acompanhamento, retirada, entrega e contato com a Vigilância Sanitária, Receita Federal).

Ao longo dos anos, a necessidade de manter um serviço desta natureza só vem se confirmando, em função do crescente número de pedidos. Suas características humanitárias permaneceram: o transporte continuou gratuito e o paciente sempre pagou estritamente o custo do medicamento.

Após o processo de recuperação judicial e venda da VARIG, a Fundação Ruben Berta continuou a realizar a atividade, buscando novos parceiros para realizar o transporte dos medicamentos, preservando a premissa humanitária do serviço.

Através desta atividade, a Fundação Ruben Berta presta um relevante serviço à sociedade, facilitando o acesso a medicamentos que mantêm vidas e que promovem o restabelecimento da saúde.


Parceiros: